Pin pad, o seu leitor de cartões

Com o Pin pad a senha dos clientes é criptografada e as compras seguras

O pin pad, ou leitor de cartões, é um aparelho fundamental para empresas que recebem pagamentos através de um sistema que contabiliza as vendas. Normalmente, quando efetuamos uma compra com cartão de crédito ou débito, ou até mesmo vale refeição ou alimentação, há duas formas diferentes de cobrança por parte dos estabelecimentos. Ou ele faz a venda diretamente por seu sistema, que ao mesmo tempo registra a transação e a transferência do valor entre as contas, autorizada mediante senha através do pin pad, ou ele utiliza uma máquina extra, normalmente de empresas como a Redecard ou Cielo, apenas para efetuar a transferência de fundos. E a venda deve ser registrada manualmente para a emissão do cupom fiscal.

“Nossa, já tinha notado essa diferença, mas não sabia o porquê. Mas muitos locais realmente têm esses sistemas diferentes. O supermercado sempre usa um aparelho fixo, o tal pin pad, quando estamos passando pelo caixa. Já ao pedir uma pizza, por exemplo, o entregador usa uma máquina portátil. É interessante conhecer um pouco mais sobre esse processo”, diz a dentista Mariana Oliveira.

pin pad

Cada forma, seja com o pin pad, ou com um equipamento auxiliar, tem as suas vantagens para cada tipo de negócio. Ambas as formas só são possíveis com a evolução dos computadores, mas principalmente da engenharia de telecomunicações, que permite que as empresas se mantenham em contato online com os bancos para autorizar as transações.

“O pin pad, ou leitor de cartões, é um dos maiores exemplos de como avançamos nos últimos anos para facilitar o comércio, e a transferência de valores. Muitas vezes quem compra está a milhares de quilômetros de sua agencia bancária, até em outros países, e mesmo assim consegue ter acesso a crédito ou ao saldo de sua conta. O dinamismo que essas operações dão ao comércio mundial foi um dos combustíveis para a expansão da economia mundial entre a década de 1990 até a crise americana de 2008”, afirma o especialista em sistemas da informação Igor D. Médici.

O pin pad é tão importante porque para muitos segmentos ele economiza tempo no atendimento e ele permite à empresa estar alinhada às suas obrigações fiscais.

Toda empresa com faturamento de no mínimo 120 mil reais anuais deve registrar através de seu sistema e de uma impressora fiscal cada uma das vendas por ela efetuada. É uma maneira do Fisco evitar a sonegação de impostos, e conferir a movimentação financeira da companhia. Com isso, de qualquer maneira, todas as transações devem ser registradas.

“Se a empresa não usasse o pin pad, que autoriza a transferência de fundos via o próprio sistema, seria necessário que ela fizesse o registro de qualquer forma e ainda utilizasse uma máquina extra só para fazer o pagamento. Não é nada prático, e no nosso setor seria um gerador de filas e reclamações. Lembraria a década de 1990, quando os pagamentos com cheque e cartão eram encaminhados para um balcão especial depois de passarem pelo caixa”, explica Felipe Queiroz, gerente de um supermercado em São Paulo.